segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Textos Filosóficos #2 - Preconceito & Generalização (Parte II)

PRECONCEITO


Preconceito é generalizar e criar um pré-conceito sobre algo ou alguém sem realmente conhecer a coisa ou o ser. Segundo o dicionário Aurélio, preconceito "existe em relação a quase tudo e varia em intensidade da distorção moderada a um erro total". Assim sendo, acredito que a forma mais sublime que uma pessoa pode se materializar é não tendo nenhum preconceito. E eu digo nenhum no sentido literal da palavra mesmo. Zero preconceito. É o mais próximo que uma pessoa pode chegar de uma divindade - para quem acredita - ou poderíamos também definir esse estado como o ápice do caráter humano.

Uma observação importantíssima, que devemos ter sempre em mente:

TER PRECONCEITO É DIFERENTE DE SER CONTRA OU NÃO CONCORDAR COM ALGO. 

Por exemplo: um dos assuntos mais polêmicos é o preconceito quanto a sexualidade, o que a sociedade decidiu chamar de homofobia. Você tem total direito de ser contra o homossexualismo. Não ter preconceito em relação a isso, não quer dizer "aceitar numa boa" os homossexuais. Quer dizer NÃO generalizá-los e NÃO criar uma ideia pré-concebida em relação à eles. A prova dessa observação digo-lhes agora: você pode odiar os homossexuais e ter vontade de matá-los (entenda-se que isso é errado), mas esse sentimento e essa vontade NÃO SÃO preconceito a partir do momento em que você entende sobre o assunto e tem uma opinião própria formada.

Mas para chegar ao estado do ápice do caráter humano, abordado no início do texto, é preciso tomar muito cuidado. Na sociedade em que vivemos e com a cultura que somos, mesmo que involuntariamente, obrigados a engolir, a cada instante você está caindo na rede do SENSO COMUM, às vezes até sem perceber. Uma frase da minha ex-professora de sociologia que me marcou muito foi: "Deve-se sempre fugir do senso comum". Não há como você estar inserido no senso comum e não ter preconceitos, mas há como você estar fora do senso comum e ter preconceitos. O "status" de apogeu do caráter humano, dito anteriormente, tem fundamento nessa dificuldade de eliminar os preconceitos.


Não ter preconceito também não quer dizer não criticar ou não definir mais ou que é certo ou errado. O importante é entender o que se está criticando e saber do que se está falando. Isso também é ser crítico, tendo uma opinião formada sobre determinado assunto. Não quer dizer também que essa opinião não seja mutável. Você pode absorver as influências das pessoas que lhe cercam, para aprimorar seu caráter, mas, nesse caso, o cuidado deve ser redobrado. É muito fácil cair novamente no senso comum e criar uma "falsa personalidade", na qual a pessoa acha que tem uma personalidade própria, mas na verdade ela é um amontoado de fragmentos de personalidade retirados das pessoas com as quais ela convive.

Bom, para a grande maioria das pessoas, esse texto não fará sentido e muito menos diferença. Para outras até fará, mas elas não estarão dispostas a sair da sensação de conforto do senso comum para entrar na zona do pensamento próprio e da crítica. Mas se eu conseguir, por um instante, fazer com que uma única pessoa entenda a mensagem que quero passar aqui, tudo já vai ter valido a pena.

Textos Filosóficos #1 - Preconceito & Generalização (Parte I)

GENERALIZAÇÃO


A partir de uma conversa com um colega, pude perceber e conhecer um pouco mais esses dois demônios da sociedade contemporânea: a generalização e o preconceito. O que farei aqui é dar o meu ponto de vista à respeito desses dois males, portanto, se discordar de algo - e certamente vai - o problema é seu.

Comecemos a análise dessa questão complicada pela generalização, que é o que, em grande parte, fornece a base para que os mais variados preconceitos sejam formados e estabelecidos como parte da cultura de uma sociedade.

"Olha lá aquele Rockeiro! Vendeu a alma pro diabo e agora está no caminho da perdição! Vai queimar no fogo do inferno no Juízo Final!"

"Nossa, olha só aquele casal de funkeiros. Garanto que já tem uma penca de filhos e para eles só resta roubar pra poder alimentar todas as crias!"

Manifestações desprezíveis como essas são vistas aos montes, pelo menos no meu dia-a-dia. Bom, não preciso nem dizer que quem ouve Rock tem fama de satanista e drogado. E quem ouve Funk tem fama de puta (mulher) e marginal (homem). Todas essas são generalizações sem tamanho, criadas por grupos sociais que se odeiam (Funk X Rock) e vivem travando guerras virtuais no anonimato da internet. Bom, mas isso é questão para outro post. O fato é que a generalização faz todos parecerem iguais, como o GOVERNO e seus manipuladores querem que seja.

Assim, generalizando os funkeiros, eu terei um pré-conceito, ou seja, uma ideia pré-formada, a respeito de TODOS os funkeiros, que pouco jus faz ao caráter que eles realmente apresentam. Isso é o preconceito.



Não é muita hipocrisia achar que todos os funkeiros são iguais, mesmo tendo plena consciência de que cada pessoa é única e tem uma forma de pensar e um caráter diferente? Não pretendo aqui defender nem funkeiros nem rockeiros. Apenas os estou usando como exemplo.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Neverworld's End - Xandria (Download Mega)


Tarja Turunen voltou ao Nightwish! Embora essa volta pareça mais improvável que o fim do mundo em 2012, devido à forma como foi mandada embora pelo gênio Tuomas Holopainen, é essa a impressão que temos ao escutar este novo trabalho do Xandria. Como só conheço a banda por este álbum, não posso fazer comparações entre Neverworld's End e os outros quatro álbuns anteriores.

O primeiro e magnífico álbum lançado com a vocalista Manuela Kraller é grandioso, para ser breve. A forma operística com que Manuela canta lembra diretamente a nossa querida Tarja, além das orquestrações de todo o disco lembrarem bastante o Nightwish também. De diferente, apenas a ausência de teclados 'na cara', como os de Tuomas no Nightwish. Mas nem por isso o Xandria deixa de ser original!

O álbum inicia com a toda-poderosa A Prophecy Of Worlds To Fall, uma épica que deixa qualquer um boquiaberto e ao mesmo tempo apreensivo - no melhor sentido da palavra - pelo que virá a seguir. O álbum todo em si é muito coeso, sendo que há espaço suficiente para todos os integrantes se destacarem em algum momento dentro dessa coesão nos mais de 60 minutos do play.

Outro destaque é a arte da capa, que dá a ideia de toda a grandiosidade que se obterá ao iniciar a audição. Uma das capas de CD mais belas que eu já vi. Ela possui todos os elementos que eu admiro. Outro ponto a favor!

Parece que temos uma nova superbanda dentro do segmento do Metal Sinfônico. O Xandria tem tudo para se tornar grande, é só seguir pelo caminho de Neverworld's End e manter a originalidade. Se continuar assim, o Nightwish já era! kk

Arrisco ainda dizer que é o melhor álbum de 2012, apesar de ter o novo do Testament, que também está demais. E visto que eu escutei pouquíssimos CDs lançados este ano, esse não é um grande mérito... Mas é isso aí!

BANDA: Xandria

ÁLBUM: Neverworld's End

ANO: 2012

GRAVADORA: Napalm Records

FORMAÇÃO: Manuela Kraller (vocal), Marco Heubaum (guitarra, vocal e teclado), Philip Restermeier (guitarra), Nils Middelhauve (baixo) e Gerit Lamm (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 01:03:53 + 07:20 (bônus) = 01:11:13 (total)

TRACKLIST:
01. A Prophecy Of Worlds To Fall ★★★★★
02. Valentine ★★★★★
03. Forevermore ★★★★★
04. Euphoria ★★★★★
05. Blood On My Hands ★★★★
06. Soulcrusher ★★★★
07. The Dream Is Still Alive ★★★★
08. The Last Elysion ★★★★★
09. Call Of The Wind ★★★★
10. A Thousand Letters ★★★★
11. Cursed ★★★★
12. The Nomad's Crown ★★★★★
13. When The Mirror Cracks (Bonus Track) ★★★★
14. The Sailor And The Sea (Bonus Track) ★★★★

DESTAQUES:
1º: A Prophecy Of Worlds To Fall
2º: Forevermore
3º: The Nomad's Crown

NOTA: 10!

LINKS DE REFERÊNCIA:


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Eu Não Vou Mudar - Big Jack (Download Mega)


A primeira sensação que eu tive ao ouvir Big Jack foi estar ouvindo uma daquelas bandas clássicas, como  o Guns N' Roses inicial, por exemplo. Claro que o som da banda que apresento a vocês hoje não é complexo como as músicas de Axl e companhia, mas o que se vê é um Hard Rock vigoroso, cheio de atitude e sem medo de falar o que pensa através da música, como tem que ser!

Apesar da aparência mais punk, a banda tem dois diferenciais que a fazem única e ao mesmo tempo surpreendente: o primeiro deles é o vocal, que é algo surreal e só ouvindo para entender. Lembro que fiquei literalmente de boca aberta logo na primeira vez que ouvi o debut dessa galera! O outro diferencial é o uso de teclados em algumas músicas, o que acaba dando um clima todo especial às partes mais agitadas das faixas. E é nisso que eles mais se assemelham ao Guns.

As letras também são pontos fortíssimos da banda, que apesar de ser bastante comercial - não tanto neste álbum -, consegue criar um padrão lírico bastante crítico mesmo sendo comercial, coisa que poucos sabem fazer atualmente. Ouça Brilho Barato e me diga se a letra não é um soco na cara! Destaco também a arte da capa do álbum, muito bem sacada, apesar da simplicidade.

Sou obrigado também a abrir um espaço especial para a música Eu Não Vou Mudar, que dá nome ao primeiro trabalho da banda. Ela tem tudo o que já foi mencionado anteriormente: vocal arrasador, um banho de teclado e um lirismo incomum. Some-se a tudo isso guitarras muito bem arranjadas, que não ficam para trás em nenhum momento da faixa. De "ruim", só a duração da música: menos de três minutos. Uma das melhores faixas cantadas em português que já tive a oportunidade de ouvir.

E não é somente a música mencionada que é curta: o álbum completo tem pouco mais de trinta minutos. Mas para um debut está de bom tamanho. A julgar pela qualidade, a banda está pronta para fazer sucesso no underground e, mais à frente, no mainstream também. Torçamos para que o Big Jack não entre para aquele grande grupo de bandas que moldaram seu som para conseguir aparecer em uma Rede Globo da vida e ficar conhecida do grande público.

Mas por enquanto, esta é uma das bandas brasileiras que eu mais acredito no potencial. Não deixe de baixar Eu Não Vou Mudar e descubra uma nova banda favorita! E, sim, o nome "Big Jack" veio da música do AC/DC! Haha

BANDA: Big Jack

ÁLBUM: Eu Não Vou Mudar

ANO: 2010

GRAVADORA: desconhecida

FORMAÇÃO: Théo (vocal e guitarra), Borruda (guitarra), Rafael Rufino (baixo), Pedro Margherito (teclado) e Aranha (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 00:30:25

TRACKLIST:
01. Eu Não Vou Mudar ★★★★★
02. Insônia ★★★★
03. Escada ★★★★★
04. Brilho Barato ★★★★★
05. História Que Eu Já Sei o Fim ★★★★
06. Garota Problema ★★★★★
07. Grande Jogo ★★★★
08. Aqui é o Meu Lugar ★★★★

DESTAQUES:
1º: Eu Não Vou Mudar
2º: Brilho Barato
3º: Garota Problema

NOTA: 9.0!


LINKS DE REFERÊNCIA:



segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Age Of The Joker - Edguy (Download Mega)



A cada dia que passa eu admiro mais a arte (não digo "trabalho" porque isso daria um tom comercial à palavra) de Tobias Sammet. E isso também se aplica a este álbum, que a cada audição parece me surpreender mais e mais.

Se você acredita que eu fui longe demais na resenha que escrevi sobre o CD, primeiro ouça todo ele e só depois venha discordar. 

Bom, o Edguy não é apenas Tobias Sammet, obviamente, mas o que é notável é que a banda está na melhor fase desde a sua criação e dificilmente conseguirá superar 'Age Of The Joker' em seu próximo lançamento (se conseguir será uma agradabilíssima surpresa para mim).

Para quem se interessou, aí está o link de download. ^^


Madame Saatan - Madame Saatan (Download Mega)


Você está aí parado, ocioso e com um sentimento de tédio incontrolável num domingo pouco agradável? Que tal dar uma animada no seu dia com algo novo, diferente e bastante inovador? Pois eis aqui a minha sugestão: Madame Saatan!

Como dito na sua resenha, este é um álbum bastante diferente por contar com uma vocalista que utiliza seu fortíssimo sotaque paraense em prol do bom Heavy Metal. E por que não mencionar também as guitarras? Estas lhe deixam com uma tremenda vontade de bater cabeça junto!

É lógico que não precisa ser domingo e muito menos você estar entediado para ouvir este disco: o importante é que ouça e valorize o que as terras brasileiras têm de melhor a oferecer. Fica dado o recado! :-)


domingo, 18 de novembro de 2012

Guerreiros da Noite - Comando Nuclear (Download Mega)


Como aconteceu no caso da banda Noturna, a mudança do primeiro para o segundo álbum do Comando Nuclear também pôde ser perceptível. Só que dessa vez para melhor. As guitarras lineares, que outrora se faziam os elementos chefes da sonoridade da banda dessa vez se expandem, tornando-se ainda mais interessantes e confirmando que a banda segue pelo melhor caminho rumo à boa música.

Mais completo e superior que seu antecessor, 'Guerreiros da Noite' mostra uma tremenda evolução em diversos aspectos da banda, com composições mais diversificadas, letras muito mais desenvolvidas que são capazes de surpreender até os mais experientes por serem mais sujas que as anteriores - vide 'Ritual Satânico' - e a cozinha mais sólida e criativa.

Fico triste por não ter conseguido uma versão boa desse álbum na internet, já que a gravação está com uma certa "interferência" na parte da bateria, mas nada que deturpe o trabalho feito pelo grupo. O que vale é a divulgação do som da banda, que deveria ser muito mais conhecida do que já é.

Se achou bom o primeiro registro do Comando Nuclear, certamente irá cair nas graças de 'Guerreiros da Noite'. Agora, se você gostou de verdade de 'Batalhão Infernal', talvés demore um pouco para assimilar as "novidades" que citei anteriormente. Mas depois de assimiladas, basta curtir o som sem preconceitos.

Alguns elementos permanecem iguais, como o padrão da arte da capa do álbum, com direito a caveiras anarquistas e imorais. kk

Preste atenção nas músicas em destaque, pois são realmente muito boas. Muito mais do que você pode imaginar. Mesmo que não tenha ouvido o primeiro disco ainda, experimente este, pois é improvável que você se desagrade, a não ser que tenha um sério problema em distinguir o bom do ruim.

É isso aí! Nada de clipes... :( O link para download segue abaixo. Aproveitem! :D


BANDA: Comando Nuclear

ÁLBUM: Guerreiros da Noite

ANO: 2011

GRAVADORA: Face The Abyss Records

FORMAÇÃO: Ron Cygnus (vocal), Filippe Lawmaker (guitarra), Rodrigo Exciter (baixo) e Guilherme Incitatus (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 00:43:25

TRACKLIST:
01. Introdução ★★★
02. Unidos Pelo Metal ★★★★
03. Princesa Infernal ★★★★
04. Guerreiros da Noite ★★★★★
05. Ritual Satânico ★★★★★
06. Reféns do Silêncio ★★★★
07. Sombras do Passado ★★★★★
08. Corrompidos pelo Ódio ★★★★
09. Presas do Mal ★★★
10. Matar ou Morrer ★★★★★
11. Mestre das Mentiras ★★★★

DESTAQUES: 
1º: Ritual Satânico
2º: Matar ou Morrer
3º: Sombras do Passado

NOTA: 9!

LINKS DE REFERÊNCIA:
DA BANDA: http://www.metal-archives.com/bands/Comando_Nuclear/38923
DO ÁLBUM: http://www.metal-archives.com/albums/Comando_Nuclear/Guerreiros_da_Noite/305469


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Batalhão Infernal - Comando Nuclear (Download Mega)


Com letras politicamente incorretas, e músicas pra lá de rápidas, o Comando Nuclear vem brigando pelo seu lugar ao sol no concorrido cenário underground brasileiro.

O que lhes trago hoje é o primeiro álbum dessa banda, que, como acontece com várias outras bandas, principalmente brasileiras, encanta pela simplicidade. É importante destacar que na capa desse álbum e também no seu segundo e último registro a banda dá vasão às caveiras tão tradicionais dentro do Rock e também a um ambiente de anarquismo causado por elas, seja por conta da violência ou do vandalismo. 

Para se ter uma ideia, no processo de lançamento de seu segundo CD, a gravadora se recusou a fazer a prensagem do material, alegando que a capa e a música em si tinham conteúdo abusivo aos direitos humanos e mais um monte de besteiras. Também pudera, com músicas como 'Ritual Satânico'... Mas nada justifica a atitude nada profissional da gravadora que eu desconheço o nome.

Mas, voltando ao álbum 'Batalhão Infernal', o que me chama atenção no som são basicamente duas coisas: a linearidade das guitarras, que possuem praticamente o mesmo timbre do início ao fim do petardo e o vocal, que vai do grave ao agudo com uma naturalidade tremenda, como tem que ser. As influências vão desde o todo poderoso Manowar até os reis do Thrash Slayer.

Mesmo se você não for um amante de estilos como Speed e Thrash Metal, não deixe de conferir este disco, pois na época em que descobri a banda eu também não era, mas mesmo assim acabei gostando de verdade, então não há desculpa.

A duração do álbum é bastante curta, como um disco de Speed Metal deve ser. Atualmente a banda está paralelamente em turnê e em estúdio e já adianta que algo novo está por vir. Aviso: cuidado com o início de 'Capital da Luxúria'! Hahaha

Ah, letras no bom e velho português, o que torna esta uma banda rara e interessante. Surpreenda-se!


BANDA: Comando Nuclear

ÁLBUM: Batalhão Infernal

ANO: 2006

GRAVADORA: Unsilent

FORMAÇÃO: Ron Cygnus (vocal), Filippe Lawmaker (guitarra), Rodrigo Exciter (baixo) e Erick MadDog (bateria, embora não esteja creditado no Encyclopaedia Metallum)

DURAÇÃO: aproximadamente 00:31:34

TRACKLIST:
01. Chamado Ao Combate ★★★
02. Comando Nuclear ★★★★★
03. Vingança Metal ★★★★★
04. Caçada Mortal Aos Falsos ★★★★★
05. Resistir ★★★★★
06. Capital da Luxúria ★★★★
07. Puro Ódio ★★★★
08. Batalhão Infernal ★★★★★

DESTAQUES:
1º: Vingança Metal
2º: Caçada Mortal Aos Falsos
3º: Resistir

NOTA: 8.5!

LINKS DE REFERÊNCIA:
DA BANDA: http://www.metal-archives.com/bands/Comando_Nuclear/38923
DO ÁLBUM: http://www.metal-archives.com/albums/Comando_Nuclear/Batalh%C3%A3o_Infernal/115884


sábado, 3 de novembro de 2012

Lobisomem Em Lua Cheia - Muqueta Na Oreia (Download Mega)




Bom, como eu disse na resenha deste disco, o nome da banda acaba por ser uma arma contra na trincheira musical. Mas, por outro lado, também pode contar pontos a favor, já que por ser estranho chama a atenção. Eu já não sei mais nada quando se fala em música, pois um dia suas teorias se aplicam e no outro já caem por terra. Mas uma coisa é certa: independente de nome, país de origem ou idioma, a música é a suprema arte do mundo.

Mas, voltando ao Muqueta Na Oreia, percebi que a minha resenha sobre o CD 'Lobisomem Em Lua Cheia' recebeu vários acessos, sinal que as pessoas se interessaram ou, ao menos, tiveram curiosidade para saber do que se tratava. Aliado a isso, resolvi disponibilizar esse álbum para download por conta da dificuldade para encontrá-lo na internet - pelo menos para mim foi uma luta até que consegui baixá-lo.

OBS: se você possui uma irmã que não curte Rock, ela rirá só de ler o nome da banda. Fonte: experiência própria. kk

Ah, e outro aviso: se alguém ver você escutando esse tipo de música, lhe julgará como louco na mesma hora. Portanto se você for um poser, escute apenas no seu fone para evitar problemas. Agora, se você for Tr00, coloque no último volume e incomode toda a vizinhança. afinal, você não se importa com o que os seus vizinhos pagodeiros falam.

É isso aí! Link pelo Mediafire, como sempre. Aproveitem, pois o que se vê aqui é algo único! ^^


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A Dream Within A Dream - Noturna (Download Mega)


Este é o segundo e último registro do Noturna, onde a talentosa vocalista Vivian Bueno demonstra plena evolução nos vocais, porém a parte instrumental deixa a desejar. Mas apesar disso, encontramos canções excelentes em meio a outras com pouca luz própria. Para saber mais, leia a resenha. Link pelo Mediafire! Qualquer coisa comente. =)


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Diablerie - Noturna (Download Mega)


Para quem ficou com vontade de escutar este álbum depois de ler sua resenha, aqui está ele! Sim, ele! O melhor álbum de uma banda nacional que este autor que vos escreve já ouviu em sua humilde vida de metalhead. Um verdadeiro banho de teclado trazendo uma harmonia perfeita junto com linhas de guitarra super melodiosas! Deguste sem moderação! Link pelo Mediafire. Qualquer coisa é só deixar um comentário! :)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Lobisomem Em Lua Cheia - Muqueta Na Oreia




Diferente. Essa seria a palavra certa para classificar o Muqueta Na Oreia, o que chega a se tornar uma tarefa árdua. O som é para gente totalmente louca, assim como eu. Se procura música normal e "politicamente correta", passe longe desse disco.

Trata-se do 'debut' dessa banda criada no final da década de 2000 e que já prepara o segundo registro para o primeiro trimestre de 2013. Bom, quanto ao estilo, misture tudo isso: Punk Rock, horror, loucura, morbidez e letras insanas que lhe farão rir como nunca antes. E o melhor de tudo: eles são brasileiros!

Eu sinceramente não sei até hoje como consegui encontrar o álbum na internet, já que a banda é 100% underground, limitando demais o acesso a informações. Um ponto positivo quanto a isso é que a banda tem um belo site oficial, personalizado todo no clima de 'Lobisomem Em Lua Cheia', além de algumas músicas que podem ser escutadas online ou até mesmo baixadas. Aconselho dar uma passada por lá e ouvir ao menos uma música para depois, sim, torcer o nariz ou cair nas graças. Eu optei pela segunda opção.

Essa será uma daquelas bandas condenadas ao underground por melhor que ela seja. Por que? Veja o nome dela! Que ser humano normal não teria certo receio ao pronunciar esse nome? Mas para todo o fim, cabe a nós exterminarmos o preconceito nominal e encarar tudo o que a banda tem a oferecer sem frescuras.

Todas as letras são em português e foram lançados nada menos que 4 clipes!!! Espantoso para uma banda do porte do Muqueta Na Oreia. Que venha o novo álbum e muito sucesso à banda! Fiquem com o clipe de 'Lobisomem Em Lua Cheia', a primeira música deles que tive contato e também a que dá nome ao 'debut'. :)

BANDA: Muqueta Na Oreia

ÁLBUM: Lobisomem Em Lua Cheia

ANO: 2011

GRAVADORA: desconhecida

FORMAÇÃO: Ramires (vocal e percussão), Bruno Zito (guitarra), Cris (baixo) e Henry (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 00:38:42

TRACKLIST:
01. XXX ★★★
02. Mundo dos Mortos ★★★★
03. O Médico e o Monstro ★★★★
04. Quebrar os Ossos da Cara ★★★★★
05. Rock 'N' Roll ★★★★★
06. B.O. no P.S. do H.C. ★★★
07. De Volta ao Mundo dos Mortos ★★★★
08. O Rosto ★★★
09. Lobisomem em Lua Cheia ★★★★★
10. Q.A.P. ★★★
11. Sem medo de Morrer ★★★★
12. O Cão ★★★★★
13. F62 ★★★★★
14. Mamãe Não Quer ★★★★
15. Énóizè ★★★★★

DESTAQUES:
1º: Lobisomem Em Lua Cheia
2º: Rock 'N' Roll
3º: Quebrar os Ossos da Cara

NOTA: 8.5!

LINKS DE REFERÊNCIA:
DA BANDA: www.muquetanaoreia.com


domingo, 21 de outubro de 2012

Age Of The Joker - Edguy




O Edguy é uma banda que está a cada disco melhor, graças ao seu vocalista, o gênio Tobias Sammet. O grupo alemão traz em 'Age Of The Joker' nada menos que o melhor álbum do ano de 2011 que tive a oportunidade de ouvir. Em meio à lançamentos magníficos de seu projeto paralelo, o Avantasia, Tobias reaparece com esse álbum genuíno, com toques eficientes de humor em paralelo a melodias únicas, onde tudo parece funcionar em plena sintonia. Aliado a isso, temos o seu vocal bastante peculiar, influenciado por vocalistas de Power Metal, como Michael Kiske, por exemplo. Tobias abusa do vibrato na voz, o que não chega a ser cansativo, tendo em vista a eficiência com que executa as notas. Enfim, é um álbum onde poucas faixas não beiram a perfeição. Não acredito que eu possa encontrar um álbum melhor que esse lançado em 2011. E eu diria mais: ele está na minha lista dos melhores do século XXI! 

É inegável que Tobias Sammet está no apogeu de sua carreira, pois há uma fartura de material, o que acabou resultando em 4 bonus tracks, sendo uma delas um cover da música 'Cum On Feel The Noize', do Quiet Riot. Nota máxima para o cover! O álbum talvez não agrade tanto a fãs das vertentes extremas do Metal, mas se você curte Heavy Metal clássico, com certeza irá gostar desse registro.

Considero Tobias Sammet o melhor músico da atualidade, dentre os artistas que eu acompanho. Não sei o nome dos outros integrantes da banda e também não tenho saco para pesquisar, então, se quiser saber, entre no link de referência da banda. Ah, e se não concordar com alguma coisa, pode deixar um comentário! :-)

Há um clipe da música 'Robin Hood', que abre o petardo. E é com ele que eu fecho esse post. Não deixem de conferir! =D

BANDA: Edguy

ÁLBUM: Age Of The Joker

ANO: 2011

GRAVADORA: Nuclear Blast

FORMAÇÃO: Tobias Sammet (vocal), Dirk Sauer e Jens Ludwig (guitarras), Tobias Exxel (baixo) e Felix Bohnke (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 01:05:32 + 17:37 (bonus) = 01:23:09 (total)

TRACKLIST:
01. Robin Hood ★★★★★
02. Nobody's Hero ★★★★★
03. Rock Of Cashel ★★★★★
04. Pandora's Box ★★★★★
05. Breathe ★★★★★
06. Two Out Of Seven ★★★★★
07. Faces In The Darkness ★★★★★
08. The Arcane Guild ★★★★
09. Fire On The Downline ★★★★★
10. Behind The Gates To Midnight World ★★★★★
11. Every Night Without You ★★★★★
12. God Fallen Silent (Bonus Track) ★★★★★
13. Aleister Crowley Memorial Boogie (Bonus Track) ★★★★
14. Cum On Feel The Noize (Quiet Riot Cover) (Bonus Track) ★★★★★
15. Standing In The Rain (Bonus Track) ★★★★★

DESTAQUES:
1º: Two Out Of Seven
2º: Fire On The Downline
3º: Behind The Gates To Midnight World

NOTA: 10!

LINKS DE REFERÊNCIA:
DA BANDA: http://www.metal-archives.com/bands/Edguy/170
DO ÁLBUM: http://www.metal-archives.com/albums/Edguy/Age_of_the_Joker/308607


Encyclopaedia Metallum


O Encyclopaedia Metallum é um site que eu descobri há algum tempo e gostaria de compartilhar com vocês, já que é nele que me baseio na hora de baixar um novo álbum ou obter informações à respeito de alguma banda. Ele tem uma vasta gama de bandas, sendo quase impossível não encontrar a banda desejada em se tratando de Metal. Imperdível. Sempre que eu postar algum álbum ou banda que esteja nesse site, irei indicar o link para que seja mais fácil encontrar informações à respeito. 

Outra coisa: vou mudar um pouco o estilo do blog: não vou mais fazer aquelas resenhas "certinhas" como eu fazia no começo. Agora vou postar os álbuns e bandas como eu achar melhor, visando uma assiduidade maior nas postagens, já que algumas vezes eu deixava de postar algo por falta de tempo para ficar procurando informações sobre bandas. Espero que compreendam. Os poucos posts antigos nesse estilo permanecerão à disposição de que, quiser ler.

Confiram o site clicando na imagem:


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Madame Saatan - Madame Saatan

‘Debut’ álbum da banda Madame Saatan, este disco auto-intitulado foi lançado em 2007 – aproximadamente 5  anos após a formação da banda e 4 após o lançamento de sua única demo O Tao do Caos – graças ao pool das gravadoras independentes Ná Records, Cubo Discos, Fósforo Records e Fora do Eixo. Com seus 45 minutos e alguns segundos mais, a banda mostra a que veio, com composições bem estruturadas e o peso de uma banda de Heavy Metal.

O primeiro contato que tive com a banda foi através da internet, em um site que não me recordo o nome, onde lá estava o clipe da música Devorados, dentre outros clipes de bandas já tradicionais no meio do Rock cantado em português, como o Matanza... Pois bem, me interessei pela banda na hora pelo fato de ela ter uma vocalista feminina, já que sou muito fã de vocal feminino, e então fui assistir ao clipe. O que vi me agradou e a música ficou na minha cabeça depois disso, praticamente me obrigando a procurar mais sobre a banda...

Após ouvir o álbum eu tive certeza de que se continuasse naquela linha a banda seria uma das grandes do Rock Verdadeiro Nacional. Quem simpatiza com os vocais femininos logo se apaixona pelo jeito único de Sammliz cantar. E de brinde vem todo o peso que as músicas exigiam e nos davam...

Ressalto, além dos vocais, os riffs muito bem compostos e executados e a bateria, que é algo que me agrada muito na banda. A capa é simples: um fundo de destaque com a sombra dos quatro integrantes como se estivessem sob holofotes. E no meio uma espécie de símbolo, aparentemente que seria usado como símbolo da banda, mas que foi abandonado pela mesma – pelo menos em Peixe Homem, segundo álbum do grupo, pois em sua capa não se encontra o símbolo. Para um primeiro álbum, a capa não fica devendo em nada!

Apesar da trinca inicial ser muito boa, deixo de fora dos destaques Gotas em Caos de Selva Avenida (estranho nome, não é? Mas acostume-se! A maioria das músicas da banda são assim), apenas porque eu escolho só 3 músicas como destaque. Incluo a abertura, Devorados, e a terceira faixa, Molotov, nos destaques, pois são as melhores do disco! E também incluo a faixa Ele Queima, Ela Sorri, que tem um ótimo refrão e merece ser mencionada!

Abaixo colocarei o videoclipe de Devorados, o primeiro gravado pela banda. Apesar de o título de algumas músicas fazerem-nos pensar que elas são cantadas em inglês, não se engane! Tudo aqui é cantado no bom e velho português! Não deixe de escutar esta grandiosa obra e conheça uma banda que luta com todas as suas forças para viver de sua música e melhorar o cenário Rocker brasileiro! Fiquem com Deus Metal!

BANDA: Madame Saatan

ÁLBUM: Madame Saatan

ANO: 2007

GRAVADORA: Ná Records, Cubo Discos, Fósforo Records e Fora do Eixo (pool)

FORMAÇÃO: Sammliz (vocal), Ed Guerreiro (guitarra), Ícaro Suzuki (baixo) e Ivan Vanzar (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 45 minutos e 53 segundos

TRACKLIST:

01. Devorados
02. Gotas em Caos de Selva Avenida
03. Molotov
04. Duo
05. Vela
06. Cine Trash
07. Apocalipse
08. Ele Queima, Ela Sorri
09. Messalina Blues
10. Prometeu

MELHOR MÚSICA: Devorados

NOTA: 8,0!


domingo, 12 de fevereiro de 2012

Banda Madame Saatan

Rock ou Heavy Metal? Até para os mais experientes no mundo da música é difícil classificá-los. Na minha humilde opinião, eles são Heavy Metal do início ao fim. E o melhor: um Heavy Metal cantado em português!!! Quer mais? Bem, pense em um vocal com tudo para dar errado no início, mas que dá um toque essencial para as engrenagens da banda! Isso mesmo. O vocal é feminino e como se não bastasse (pelo preconceito que um mulher à frente de uma banda de Metal infelizmente ainda gera), Sammliz (vocal) se utiliza de um sotaque pra lá de bem vindo na sonoridade da banda.

Vamos à história da banda: ela tem início no derradeiro ano de 2003, em Belém do Pará (isso mesmo,  Belém do Pará), e conta com Sammliz, Ed Guerreiro (guitarra), Ícaro Suzuki (baixo) e Ivan Vanzar (bateria).  Seu primeiro lançamento foi a demo O Tao do Caos, lançada em 2004. O EP contém cinco músicas, entre elas a extensa Prometeu, a boa Apocalipse e Messalina Blues – todas essas três constando no ‘debut’ álbum da banda auto-intitulado. Dedicarei, é claro, um post completo para falar sobre o álbum Madame Saatan e também outro falando sobre seu último lançamento: o excepcional Peixe Homem.


Os pontos fortes da sonoridade do grupo que merecem ser destacados são primeiramente os vocais pouco convencionais da simpaticíssima Sammliz, bem como o peso desconcertante de algumas músicas, fato este muito mais presente no último álbum, e a personalidade da banda em sua busca por incorporar elementos  de sua terra natal, a exemplo do que fez o Angra, incorporando elementos brasileiros em sua música... O fato é que no Madame Saatan tudo parece muito autêntico, sem soar forçado em nenhum momento. Muito pelo contrário! A banda surpreende a cada nova música e é impossível ficar parado ouvindo músicas que já se tornaram clássicos da música cantada em português, pelo menos na minha opinião, como a espetacular Respira, que resume bem a proposta da banda.

A banda atualmente está com sua sede na capital paulista, trabalhando em shows e na divulgação da sua música. Outro fato importante na carreira do grupo é que a banda nunca sofreu com a saída de nenhum integrante. Ou seja, a banda que lançou Peixe Homem, em 2011, é a mesma que lançou O Tao do Caos, em 2004, e que se juntou em Belém do Pará, em 2003. Isso mostra a força de seus integrantes e a vontade que cada um tem de viver da música, fazendo “sacrifícios” que tinham tudo para dar errado – vide a saída dos quatro de Belém do Pará, sem garantia nenhuma de que teriam sucesso na empreitada.


Por fim, se você gosta ou ao menos respeita os grupos que se esforçam para fazer do Brasil um país Rocker de verdade, é indispensável ouvir esse grupo que é um dos melhores do Brasil na atualidade! Aguardem pelos posts seguintes sobre os álbuns da banda. Pode demorar, mas valerá a pena. Mas se você for Headbanger de verdade, não esperará pelos posts e procurará pela banda agora mesmo! E se você ainda acha que o Madame Saatan é satânico, você não merece estar lendo isso! Façam suas escolhas e fiquem com Deus Metal e também com o clipe da música Vela, do 'debut' Madame Saatan!!!


CONTATOS:

domingo, 29 de janeiro de 2012

A Dream Within A Dream - Noturna



Este é o segundo álbum da banda Noturna, lançado em 2011 independentemente (daí a razão da demora para o lançamento do mesmo, que era previsto para o primeiro semestre de 2011, mas só foi concebido no dia das bruxas - 31/10/2011 (sugestivo, não?)). Com uma duração um pouco menor do que o seu antecessor, aproximadamente 48 minutos e meio, este álbum marca uma nova etapa da banda em estúdio, agora mais madura e sabendo exatamente o que quer.

À primeira vista você vai se decepcionar depois de ouvir os acordes finais de To Ruin Or To Reign, se você ouviu primeiro o álbum desse grupo. Com a saída do guitarrista Fábio Bastos, a banda perdeu aquele timbre todo especial da guitarra que era um dos diferenciais da banda e também notadamente os vocais guturais não estão tão incisivos neste novo trabalho. Não vamos ser injustos: o atual guitarrista da banda, Sergio Barbieri, segura muito bem a barra e traz novas ideias à sonoridade da banda, além de ser autor de vários riffs muito bons desse novo CD, como os da faixa título e os de Tactile Coma. Aliás, o destaque vai também para o baterista Rafael Costa e, é claro, para Vivian Bueno, responsável pelos vocais do Noturna ao lado de Barbieri.

Depois de algumas ouvidas, o álbum parece muito mais coeso e eu particularmente consegui 'sacar' algumas músicas que em uma escuta um pouco mais "descuidada" são mais difíceis de se entender. Digamos que as músicas ficaram mais complexas. Um exemplo clássico é a música Falls Of Mankind, que precisa de algumas boas ouvidas para se completamente digerida. Mas o que surpreende logo de cara é a primeira faixa e que também dá o nome do disco, pois ela tem um riff muito bom além de toques especiais que dão um clima bem gótico a ela.

Os teclados foram bem mais modestos nesse novo disco, assim como o baixo e os vocais guturais, como já foi falado anteriormente... Mas mesmo com essas peculiaridades, todos os cinco integrante possuem seus méritos por essa obra! Gostem ou não gostem, esse é o novo Norturna. Outro destaque é para a capa do disco, muito bem feita pela carioca Nathalia Suellen. 

Os três destaques do álbum são a faixa título, com um ótimo refrão, riff e solo, com todos os integrantes da banda tocando muito bem. A longa Tactile Coma, uma das faixas liberadas antecipadamente ao lançamento do álbum, também tem um riff super legal e um refrão ótimo. E outro destaque é Cry Of A Fallen, que eu acho particularmente muito sincera por parte da banda com a guitarra acompanhando o vocal de Vivian durante quase toda a música.

Curtiu o primeiro álbum deles? Não deixe de obter esse trabalho, pois não se arrependerá!! A banda disponibilizou este novo álbum para download gratuito em seu site. Assim como em Diablerie, nenhum clipe foi lançado. Até mais e fiquem com o Deus Metal!


BANDA: Noturna

ÁLBUM:A Dream Within A Dream

ANO: 2011

GRAVADORA: Independente

FORMAÇÃO: Vivian Bueno (vocal), Sergio Barbieri (guitarra e vocal), Alan Curátola (baixo), Laura Pataro (teclado) e Rafael Costa (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 48 minutos e 41 segundos

TRACKLIST:

01. A Dream Within A Dream
02. Losing Control
03. Falls Of Mankind
04. Lethargic Dreams
05. Cry Of A Fallen
06. October 13th
07. The Fool
08. Tactile Coma
09. To Ruin Or To Reign

MELHOR MÚSICA: A Dream Within A Dream

NOTA: 7,5!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Diablerie - Noturna


Este é o primeiro álbum da banda Noturna, lançado em 2005 pela gravadora Hellion Records. Apesar de ser um álbum extenso (Ao todo são aproximadamente 59 minutos) o tempo passa voando e quando você vê já está no final...
Esse álbum, especificamente, "revelou" a minha paixão pelo Gothic Metal verdadeiro, não pelo goticismo comercial e pífio, forjado por bandas digamos 'fake', como Evanescence e Lacuna Coil (que fique claro que eu ouço e gosto das duas bandas, porém acho que são classificadas erroneamente como góticas, principalmente o Evanescence). Atualmente é muito difícil encontrar bandas que pratiquem um Metal Gótico tão fiel quanto o Noturna. Na verdade, eu acho que quanto mais conhecida a banda vai ficando, mais ela se distancia da proposta do gótico... Foi o que aconteceu com o Nightwish na fase Once.

O principal aspecto que me chamou a atenção logo de cara no Noturna foram as guitarras. Como um bom amante de guitarras que sou (assim como a esmagadora maoiria dos Rockers e Headbangers, já que esse é o instrumento-símbolo do Rock e Metal) fiquei totalmente boquiaberto assim que coloquei o CD no play. O timbre da guitarra de Fábio Bastos é algo inigualável, que infelizmente até hoje eu nunca consegui encontrar nada parecido com o que foi feito por ele nesse álbum...

Eu lembro até hoje da primeira vez em que eu ouvi o álbum: era um dia chuvoso (daqueles que não se tem nada pra fazer a não ser ficar na internet) e já estava escurecendo,  e eu já tinha visto há bastante tempo essa banda na revista Roadie Crew, a maior revista de Heavy Metal e Classic Rock do Brasil. Então decidi ouvir o Diablerie. Que escolha acertada!!!

Algo que também me chamou a atenção, porém agora depois de mais algumas audições do 'debut' foram os vocais de Vivian, que são sempre maravilhosos, e dos quais me tornei fã rapidamente... Outro ponto forte do álbum e que me influenciou fortemente foram os teclados, que dão um direcionamento diferente em algumas músicas do CD. A partir daí comecei a ouvir mais bandas que misturam à sua música o som maravilhoso dos teclados. Então, como podem ver, esse álbum me influenciou muito e por isso faço questão de estar escrevendo sobre ele para que outras pessoas também possam ter a oportunidade de ter uma nova visão do estilo gótico, assim como eu tive.

Bom, vamos aos destaques do álbum: a primeira faixa é uma introdução muito bem feita e realmente é um diferencial que já de cara dá o clima de como será o álbum. A faixa título é pesada, assim como todo o álbum, e também merece ser mencionada. E como terceiro destaque eu escolho a faixa Cursed, com dois ótimos solos de Fábio Bastos e um vocal espetacular de Vivian Bueno. Esse é o momento mais calmo do disco e merece todos os créditos. Enfim, esse é um álbum em que nenhuma música fica devendo em nada e tudo parece mágico!

A banda não lançou nenhum videoclipe do trabalho. Ouça e surpreenda-se! E fiquem todos com Deus Metal!!!

BANDA: Noturna

ÁLBUM: Diablerie

ANO: 2005

GRAVADORA: Hellion Records

FORMAÇÃO: Vivian Bueno (vocal), Fábio Bastos (guitarra e vocal), Guilherme Carvalho (baixo), Victor Munhoz (teclado) e Rafael Costa (bateria)

DURAÇÃO: aproximadamente 59 minutos e 43 segundos

TRACKLIST:

01. Requiem For A Divine Tragedy
02. Remembrance Of Dying
03. Tears Of Blood
04. Diablerie
05. My Last Heartbeat
06. Evil Heart
07. By Candlelight
08. Cursed
09. Devil's Desire
10. With Hands Of Doom

MELHOR MÚSICA: Diablerie

NOTA: 10!


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Banda Noturna

A primeira banda que eu vou apresentar a vocês é a banda NOTURNA. Seu estilo é um Metal Gótico que eu ainda não encontrei nenhuma banda no mundo que execute com tanta competência. Você pode pensar em Nightwish no início de carreira, se quiser comparações, pois a vocalista e líder do grupo, Vivian Bueno, tem um estilo de cantar parecido com o de Tarja Turunen, mas Vivian usa quase que o tempo inteiro o vocal lírico. Não poderia faltar também o vocal gutural, é claro, característica da maioria das bandas de Gothic Metal...

O NOTURNA teve início em 2002, com a já mencionada vocalista Vivian Bueno, na cidade de Belo Horizonte, que aliás é uma das maiores potências do Metal no Brasil, com um lineup formado por Vivian (vocal), Fábio Bastos (vocal e guitarra), Victor Munhoz (Piano), Guilherme Carvalho (baixo) e Rafael Costa (bateria). Até agora a banda conta na sua discografia com o EP Symphony Of Decadence, lançado em 2003, e com dois álbuns de estúdio: o espetacular Diablerie (2005) e o não menos fenomenal A Dream Within A Dream (2011).



Falarei sobre os dois álbuns em posts separados, pois eles merecem exclusividade devido à sua qualidade... Com o EP a banda conseguiu visibilidade nacional e, por incrível que pareça, conseguiu a façanha de aparecer no Jornal Hoje, da nossa gloriosa Rede Globo, algo inimáginável pela maioria das bandas que tocam esse estilo musical tão restrito ao underground.

Foi a banda NOTURNA que fez eu me apaixonar pelo Gothic Metal, que até então me passava despercebido, mesmo eu sempre tendo uma certa 'atração' pela filosofia gótica. Não deixe de ouvir essa banda se você já gosta desse estilo ou se não conhece e quer se aventurar por novos caminhos no Heavy Metal...

Atualmente a banda foi toda refeita e foram embora todos os seus membros, ficando apenas o baterista Rafael Costa e a espetacular vocalista Vivian Bueno. Sorte que só os membros foram embora: a qualidade ficou e continua até os dias de hoje e esperamos que fique por muito tempo. Atualmente, temos além de Vivian e Rafael na banda, Sergio Barbieri (guitarra e vocal), que trouxe novas ideias para a banda substituindo muito bem o guitarrista anterior Fábio Bastos que decidiu se afastar do meio do Metal, Alan Curátola (baixo) e a bela Laura Pataro nos teclados.



Esperamos que o NOTURNA não demore tanto para lançar o terceiro CD como a banda demorou para lançar o segundo... Os próximos posts serão sobre os dois CD's da banda. Até mais e fiquem sempre com Deus Metal!

CONTATOS:

domingo, 1 de janeiro de 2012

01/01/2012

Bom, primeiramente vou esclarecer a finalidade do blog... O blog falará de vários assuntos relacionados não só ao Heavy Metal, mas também por várias outras vertentes da música pesada, como por exemplo, o Hard Rock, Punk Rock, Glam Rock, Gothic Rock e as demais vertentes do nosso tão querido Rock, que sem sombra de dúvidas é um dos estilos mais polêmicos do mundo da música, já que provoca reações de amor e ódio nas pessoas. Haverá posts de bandas já conhecidas no cenário mundial, as ditas bandas 'mainstream', mas a prioridade dos posts ficará por conta das bandas mais desconhecidas, as chamadas bandas 'underground', pois acho que é unanimidade entre os Rockers que o underground tem bandas de igual e muitas vezes de melhor qualidade do que o mainstream. Haverá também resenhas de discos, entrevistas e muito material dessas bandas. Bom, esse é basicamente o propósito desse blog...

Bom, em relação ao dia em que eu criei o blog (01/01/2012) não foi proposital, já que o projeto do blog já vinha sendo idealizado por mim há pelo menos uns dois meses... Mas foi apenas hoje que eu tive tempo e oportunidade de criá-lo. Um prato cheio pra quem acredita em superstição, que não é o meu caso.

Dito isso, espero que gostem, pois essa é uma pequena iniciativa, mas que poderá ajudar em muito bandas que têm qualidade musical, mas que não têm apoio nem da mídia especializada nem das gravadoras e buscam divulgar o seu trabalho pela internet, pois sabe-se que hoje em dia lançar um trabalho de forma independente e ainda de qualidade é muito difícil... Então até o próximo post, que certamente virá logo, e fiquem todos com a proteção do Deus Metal!